Sebrae Play | Como conseguir crédito para ingressar no mercado solar

Adicionado ao carrinho


Investimento:
R$ 0,000 x R$ 0 sem juros
logo

Adicionado ao carrinho


Investimento:
R$ 0,000 x R$ 0 sem juros

Finanças

Artigo
Artigo

Como conseguir crédito para ingressar no mercado solar

Perceba a importância do planejamento e conhecimento desse mercado para dar início ao investimento financeiro

Publicado em
28/11/2023 18:22

Tempo de
leitura: 12min

Sebrae Minas - Como conseguir crédito para ingressar no mercado solar
Perceba a importância do planejamento e conhecimento desse mercado para dar início ao investimento financeiro

As oportunidades para ingresso no mercado de geração solar fotovoltaica são variadas e bastante atrativas. O cenário é bastante positivo pois a fonte tem um potencial de expansão praticamente ilimitado nas próximas décadas.

Os passos iniciais para empreendedores interessados em experimentar essa área precisam, contudo, ser bem cuidadosos na hora de obter o capital necessário para a montagem de um negócio num momento em que a economia nacional enfrenta desafios. E conseguir crédito para ingressar no mercado solar é um dos primeiros desafios.

Neste artigo, vamos explorar a possibilidade de ingressar no setor de energia solar. Partindo desse ponto tão importante, o crédito para investir, você verá agora as principais dicas para entrar de cabeça nesse mercado.

Como está o mercado no Brasil?

A Taxa Básico de Juros (Selic) sofreu alta considerável ao longo de 2021, reflexo do avanço da inflação no cenário de recuperação pós Covid-19. Isso pesa, portanto na hora de contrair um financiamento, já que as taxas praticadas pela rede bancária se guiam pela Selic.

A variação cambial também está desfavorável à importação. Isso é importante pois a maior parte dos modelos de painéis fotovoltaicos, componente central das instalações solares, é fabricada no exterior e tem seus preços internacionais pressionados atualmente pela alta das commodities, como ligas metálicas entre outras.

A acelerada demanda ambiental por energia renovável, no enfretamento às mudanças climáticas, é outro fator que colabora para puxar para cima os valores dos principais insumos utilizados na fabricação de equipamentos.

Não há um horizonte preciso de estabilização para esse cenário de incertezas, mas é importante conhecer bem esse momento na hora de fazer um plano consistente de negócios, com objetivos bem definidos e estratégia programada para imprevistos, sinalizando prudência na condução dos negócios, elementos que as instituições levam em conta na hora de conceder acesso às linhas de financiamento.


E como fica o acesso ao crédito?

É preciso ainda dar atenção especial à capacidade de pagamento, critério utilizado pelo sistema bancário não só para aprovar a liberação do crédito bem como para definir o prazo de quitação do empréstimo.

Em negociações de captação de crédito que envolvam o desenvolvimento de um plano de negócios, será necessário também montar um fluxo de caixa estimado para os próximos anos, do negócio, envolvendo estimativa de todas as entradas (receitas) e saídas de caixa, custos, despesas e tributos, que produzirão o caixa líquido do período e, assim, acumulado ao longo do tempo.

Vantagens e facilidades para quem quer ingressar no mercado solar

De positivo, suportada por uma forte demanda, há uma ampla oferta de financiamentos para os clientes que partem para a compra de instalações fotovoltaicas, seja para uso residencial, comercial ou industrial, o que é um estímulo importante para ingressar nesse mercado.

Para os empreendedores que se tornam franqueados de uma marca de renome no mercado, a parceria com financiadoras e bancos torna-se praticamente automática, garantida, de certa forma, pela reputação do próprio franqueador. Já para negócios autônomos desenvolvidos no segmento de instalação, o credenciamento junto às instituições depende de requisitos a serem atendidos, de acordo com a política específica de cada estabelecimento.

Para quem já tem algum recurso próprio, a montagem do negócio fica um pouco mais facilitada se a ideia é partir para uma franquia. Nesse modelo de negócio, existem hoje várias alternativas disponíveis no mercado.

No entanto, vale destacar que, se o potencial empreendedor já possui recurso próprio ou necessita de capital complementar para viabilizar a criação de uma empresa no setor, é fundamental estabelecer e apresentar um plano de negócio estruturado, mostrando a viabilidade do negócio, pois isso facilita de fato o acesso ao crédito. Também deve-se priorizar a busca por crédito em instituições financeiras que o empresário ou potencial empreendedor já tenha um histórico de relacionamento, pois pode obter taxas de juros mais atraentes.

Como conseguir crédito: critérios analisados pelas instituições financeiras

1. Capacidade de pagamento

Para analisar se a empresa tem capacidade de honrar os compromissos assumidos, os bancos verificam os fluxos e as projeções de caixa. Portanto, apresente demonstrações financeiras detalhadas e transparentes, pois registros contábeis de faturamento incompletos prejudicam a análise de capacidade de pagamento.

2. Capital

As instituições financeiras também analisam a capacidade de liquidez, os índices de lucratividade e a rentabilidade da empresa, bem como verificam se esses companhias têm reservas suficientes para arcar com o pagamento do crédito. Por isso, os demonstrativos contábeis devem refletir com fidelidade a estrutura de capital do empreendimento. Tendo isso, aumenta a chance de aprovação.

3. Caráter

Também é analisado o histórico do cliente como tomador de crédito: o proponente foi pontual no pagamento de suas dívidas no passado? O Sistema de Informações do Banco Central é consultado sobre ocorrências registradas em órgãos de proteção ao crédito (Serasa, SPC, Cadin) e em cartórios contra a empresa, os sócios e os avalistas.

4. Garantias

O banco analisa as garantias oferecidas na hora do empréstimo. Assim, quanto maior for a quantidade e a qualidade das garantias disponibilizadas, o risco de a instituição recobrar os recursos emprestados aumenta, caso o solicitante não honre suas obrigações. As garantias podem ser pessoais e/ou reais. Verifique as condições no banco onde solicitar crédito.

O Sebrae tem um fundo de aval para complementar garantias nas operações de crédito contratadas pelos pequenos negócios. Em parceria com a Caixa, o Fampe está facilitando o acesso dos donos de pequenos negócios ao financiamento de capital de giro. Saiba mais do acordo e veja como se beneficiar.

5. Coletivo

Empresas que atuam junto com outras do mesmo setor, mas em etapas diferentes da cadeia de produção, podem se tornar fornecedoras nesse meio, e por isso têm um menor diferencial de risco. Nesses casos, as instituições financeiras têm alterado seus parâmetros de avaliação, reduzindo as exigências, simplificando processo e, consequentemente, os custos diretos e indiretos de acesso a crédito.

Crédito bancário para ingressar no mercado solar

No mercado bancário há instituições que dispõem de opções variadas de financiamento orientadas para fomento do desenvolvimento de micro e pequenas empresas que pretendem atuar em setores diversos. Mas é importante checar previamente as condições porque, como mencionado, elas flutuam de acordo com o cenário econômico.

A linha “FNE MPE” do Banco do Nordeste, por exemplo, oferece valores que vão até R$ 300 mil no caso de microempresas e de até R$ 4,8 milhões no caso de pequenas empresas. O banco aceita garantias diversas como cobertura, incluindo fiança ou aval; alienação fiduciária, penhor e hipoteca. A taxa de juros cobrada é regulada pela resolução 4.672/2018 do Conselho Monetário Nacional.

Há também linha disponível no Banco do Brasil, para negócios que se caracterizam, sobretudo, pela geração de empregos. O limite de crédito é de R$ 500 mil por ano com prazo total de financiamento de até 5 anos, incluindo carência de até 2 anos. O tomador poderá, se for o caso, complementar a garantia utilizando o chamado BNDES FGI (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social - Fundo Garantidor do Investimento). Ainda entre as opções estatais de crédito, a Caixa Federal tem uma linha denominada “Microcrédito produtivo Orientado”. O banco disponibiliza equipe para conhecer o empreendimento e oferece valor máximo de R$ 15 mil, para pagamento em 24 parcelas, no máximo, e carência de 12 meses a depender da finalidade do crédito.

Já entre os bancos privados, o Itaú possui uma linha chamada “Microcrédito” para investir em capital de giro, reposição de estoque, aquisição de máquinas e equipamentos, reforma entre outras possibilidades. Os valores oferecidos chegam a R$ 20,3 mil, com parcelamento em até 15 vezes.

Para as chamadas “startups”, empresas recém-formadas e que trazem como proposta de atuação trabalhar na inovação de modelos de negócio, desenvolvendo ideias disruptivas, mas escaláveis, o caminho pode ser a busca por empresas incubadoras ou aceleradoras. Tanto uma como outra são consideradas redes de apoio para as que necessitam de suporte e orientação para traçar um caminho de sucesso.

As incubadoras se caracterizam mais por selecionar projetos voltados à suprir necessidades de uma determinada região ou governo. São, em geral, ligadas às instituições de ensino ou organizações sem fins lucrativos, administradas por entidades públicas ou privadas. Elas, em geral, dispõem de espaço físico para o trabalho, contato com outras startups, treinamentos, mentorias, contato com parceiros e financiamento inicial. Já no caso das aceleradoras, o interesse se concentra mais por startups que estão prestes a atingir o “break even” (ponto de equilíbrio), ou seja, quando a startup está prestes a se tornar lucrativa financeiramente.

As aceleradoras, portanto, atuam como mola propulsora para que o negócio já parta lucrativo. Costumam oferecer mentorias, investidores, investimentos financeiros, além de networking com parceiros de alta relevância no mercado.

Conclusão: como tomar a decisão de investir no mercado solar?

Levando em consideração tudo o que você acabou de ler, o mais importante para o empreendedor é adquirir um crédito de forma consciente, sobretudo para as micro e pequenas empresas. Isso é especialmente importante pois esses negócios podem ser mais vulneráveis às oscilações da macroeconomia.

Desta forma, é essencial levar em consideração todos pontos acima citados antes de tomar uma decisão. Um crédito mal dimensionado pode ser fator decisivo para a perenidade do pequeno negócio. Por outro lado, uma aposta mais acertada, estruturada e alinhada, pode trazer grandes ganhos ao empreendedor.

Agora que você já sabe os critérios para obter crédito para dar início ao seu negócio fotovoltaico, se ainda houver alguma dúvida fale com um dos nossos especialistas no Atendimento Online, ligue para nossa Central de Atendimento no telefone 0800 570 0800 ou visite o Ponto de Atendimento mais próximo. Conte com o Sebrae!

Publicado em 28/11/2023 18:22

Tempo de leitura: 12min

Autores

Veja outros conteúdos sobre: Finanças
Lines
Central de Atendimento:
0800 570 0800

Copyright 2020 - SEBRAE MINAS

Logo Sebrae PlayLogo Sebrae