Negociação de dívidas bancárias

Adicionado ao carrinho

Carga horária: NaN minuto

Investimento:
R$ 0,000 x R$ 0 sem juros
logo

Adicionado ao carrinho

Carga horária: NaN minuto

Investimento:
R$ 0,000 x R$ 0 sem juros

Finanças

Artigo
Artigo

Negociação de dívidas bancárias

Confira alguns pontos de atenção ao negociar as dívidas do negócio

Publicado em
30/08/2023 14:30

Tempo de
leitura: 3min

Sebrae Minas - Negociação de dívidas bancárias
Confira alguns pontos de atenção ao negociar as dívidas do negócio

O não pagamento de dívidas contraídas com instituições financeiras pode trazer muitas consequências negativas para a saúde financeira de uma empresa. Para evitar isso, é importante tentar resolver o problema antes que ele se agrave. E entre os caminhos possíveis está a negociação dos valores dos contratos com a instituição financeira.


 
 


 

Quais cuidados são importantes no momento da negociação das dívidas?

O primeiro deles é fazer um levantamento de todas as dívidas que a empresa possui. Alguns pontos chaves precisam ser levantados, como o valor da dívida, a parcela mensal, o número de parcelas em atraso, o número de parcelas até encerrar o contrato e a taxa de juros daquela operação. Dessa forma, tem-se uma visão melhor da situação. Isso permitirá elaborar as estratégias de negociação.

O pagamento das dívidas com instituições financeiras deve ser tratado como prioridade, uma vez que sua inadimplência pode trazer consequências graves para a empresa, tais como: inclusão do CNPJ em órgãos de proteção ao crédito, bloqueio de compras a prazo por parte dos fornecedores e impossibilidade de contratar novas linhas de créditos.

Além disso, ocorrerá o acúmulo das parcelas não pagas e que continuam sendo corrigidas pelas taxas de juros do contrato, além das multas pelo atraso. Esse valor tende a crescer rapidamente, aumentando a dificuldade de se resolver o problema.

Antes de se sentar com o credor, é importante também levantar quais são as possibilidades de pagamento a partir das projeções do fluxo de caixa. Ou seja, é necessário saber qual o limite que pode ser aceito na negociação.

Ter um comportamento proativo também é fundamental. Não espere a situação sair totalmente do controle para procurar a instituição financeira. No desespero, aumenta-se a chance de se aceitar qualquer acordo. Lembre-se que o credor normalmente está aberto à negociação das dívidas, pois a inadimplência também o prejudica.

Pensando na negociação propriamente dita, deve-se comunicar de forma clara a intenção em equacionar a dívida, mas dentro de condições viáveis. De nada adianta aceitar um acordo que esteja além das condições de cumprimento. É um direito de cada um negociar. A instituição financeira não está fazendo nenhum favor em sentar-se à mesa.

Não aceite nenhum acordo ou assine qualquer contrato, sem ter clareza de todas as condições acertadas. Em caso de dúvida, busque um profissional que possa ajudar no esclarecimento das questões.

Por último, faça o planejamento financeiro da empresa, assegurando as condições para quitar as parcelas do compromisso assumido. É muito importante honrar os valores negociados, pois uma segunda negociação será muito mais complicada!

Dúvidas? Fale com um de nossos especialistas no Atendimento Online, ligue para nossa Central de Atendimento no telefone 0800 570 0800 ou visite a Agência de Atendimento mais próxima.

Publicado em 30/08/2023 14:30

Tempo de leitura: 3min

Autores

Veja outros conteúdos sobre: Finanças
Lines
Central de Atendimento:
0800 570 0800

Copyright 2020 - SEBRAE MINAS

Logo Sebrae PlayLogo Sebrae