Sebrae Play | Especificidades para formalizar o negócio criativo

Adicionado ao carrinho


Investimento:
R$ 0,000 x R$ 0 sem juros
logo

Adicionado ao carrinho


Investimento:
R$ 0,000 x R$ 0 sem juros

Empreendedorismo

Artigo
Artigo

Especificidades para formalizar o negócio criativo

Saiba a importância e como realizar a formalização de um negócio criativo

Publicado em
28/11/2023 17:36

Tempo de
leitura: 12min

Sebrae Minas - Especificidades para formalizar o negócio criativo
Saiba a importância e como realizar a formalização de um negócio criativo

Nos dias de hoje, o cenário empresarial está em constante evolução, e muitas pessoas estão explorando oportunidades criativas e inovadoras para iniciar seus próprios negócios. Seja você um artista, designer, músico, escritor, desenvolvedor de software ou empreendedor em qualquer outra área criativa, a capacidade de transformar suas paixões e habilidades em um empreendimento lucrativo é uma perspectiva emocionante. No entanto, nesse ambiente competitivo e em constante mudança, a formalização do seu negócio criativo se torna essencial.

Neste conteúdo, vamos explicar as vantagens da formalização e, claro, as particularidades de quem vai formalizar um negócio criativo. Você também vai descobrir o que é o CNAE, ou Classificação Nacional de Atividades Econômicas, e como escolher o que melhor representa as atividades do seu negócio criativo!


 
 


 

Por que formalizar um negócio criativo

Formalizar um negócio criativo é um passo fundamental para o sucesso a longo prazo e a sustentabilidade desse empreendimento. A seguir, vamos passar por algumas razões que reforçam o quanto é importante formalizar o seu negócio da economia criativa:

Legalidade e conformidade: Garante que você esteja operando de acordo com as leis e regulamentações do seu país ou região. Isso evita problemas legais, multas e penalidades no futuro.

Proteção pessoal: Cria uma separação legal entre o negócio e os ativos pessoais do proprietário. Isso significa que, em caso de dívidas ou litígios comerciais, seus bens pessoais (como casa, carro, etc.) estão protegidos.

Acesso a financiamento: Bancos e investidores sempre preferem fazer negócios com empresas formalmente registradas, uma vez que isso demonstra um compromisso sério e facilita a obtenção de empréstimos ou investimentos.

Credibilidade: Ter um registro legal e um nome comercial formal aumenta a credibilidade aos olhos dos clientes, fornecedores e parceiros de negócios. Isso pode ajudar a atrair mais oportunidades de negócios.

Recursos governamentais: Muitos governos oferecem apoio e incentivos financeiros a empresas formalizadas. Isso pode incluir acesso a programas de treinamento, subsídios e incentivos fiscais.

Proteção da propriedade intelectual: Se o seu negócio criativo envolve a criação de obras intelectuais, como música, arte, software ou design, a formalização pode ajudar a proteger seus direitos autorais e marcas registradas.

Escalabilidade: Uma estrutura de negócios formalizada torna mais fácil expandir o seu empreendimento, seja abrindo filiais, contratando funcionários ou buscando novos mercados.

Impostos e contabilidade: A formalização permite que você organize suas finanças de maneira eficiente, facilitando o pagamento de impostos e a gestão contábil. Você também pode se beneficiar de deduções fiscais disponíveis para empresas.

Em resumo, formalizar um negócio criativo não apenas garante a conformidade legal, como também é um investimento importante no crescimento e na proteção do seu negócio.

O que é CNAE e qual a relação com formalização de negócios criativos

O CNAE, ou Classificação Nacional de Atividades Econômicas, é um sistema utilizado para categorizar e classificar as atividades econômicas das empresas e empreendedores no Brasil. Ele é um importante instrumento utilizado para padronizar a identificação das atividades econômicas em todo o país.

Todas as empresas, sejam elas MEI ou até empresas de maior porte, devem escolher um código CNAE que corresponda à natureza de suas atividades econômicas.

A relação entre o CNAE e a formalização de negócios criativos está no fato de que a escolha correta do código CNAE é fundamental para a legalização e o registro adequado do empreendimento.

Desde 2017, o Ministério da Cultura determinou que as empresas da economia criativa devem ter CNAEs compatíveis com os projetos que apresentam. Dessa forma, a aprovação de projetos em leis de incentivo está condicionada ao CNAE específico descrito da atividade em questão.

CNAE dos negócio criativos

Veja algumas maneiras pelas quais o CNAE se relaciona com a formalização dos negócios criativos:

Registro legal: Ao formalizar um negócio criativo, você precisará registrar sua atividade junto aos órgãos governamentais, como a Receita Federal e a Junta Comercial. Esses órgãos utilizam o código CNAE para identificar e classificar sua atividade econômica.

Tributação: O código CNAE também determina o enquadramento tributário de sua empresa. Isso influencia diretamente os impostos que você deve pagar, como o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), PIS/PASEP e COFINS, entre outros. A escolha adequada do CNAE pode impactar significativamente a carga tributária de seu negócio.

Regulamentação: Em alguns setores criativos, pode haver regulamentações específicas ou requisitos legais. O código CNAE ajuda as autoridades a identificar a atividade e aplicar as regulamentações apropriadas, como licenças e autorizações especiais.

Estatísticas e políticas públicas: O CNAE é usado para fins estatísticos e de políticas públicas. Ele ajuda o governo a coletar dados sobre diferentes setores da economia, o que pode influenciar políticas, programas de incentivo e tomada de decisões relacionadas ao desenvolvimento econômico.


 
 


 

Como escolher o CNAE do negócio criativo

Escolher o CNAE adequado para o seu negócio criativo requer atenção aos detalhes e uma compreensão clara da natureza de suas atividades econômicas. Aqui estão alguns passos para ajudá-lo a selecionar o CNAE correto:

Identifique as atividades principais: Comece fazendo uma lista das atividades principais do seu negócio criativo. Pergunte-se: qual é a principal área de atuação da minha empresa? Isso pode incluir a criação de arte, design, música, redação, desenvolvimento de software, produção audiovisual, entre outras.

Consulte a tabela do CNAE: A Receita Federal do Brasil disponibiliza uma tabela completa com todos os códigos CNAE. Você pode acessá-la online ou buscar ajuda de um contador para obter as informações mais recentes. A tabela está organizada em seções, divisões e grupos, e cada código CNAE possui uma descrição detalhada das atividades econômicas que abrange.

Pesquise com precisão: Leia as descrições de cada código CNAE com atenção e compare-as com as atividades do seu negócio. Tente encontrar o código que melhor se alinha com o que você faz. Às vezes, pode ser necessário consultar códigos em níveis mais específicos para garantir uma correspondência precisa.

Considere múltiplos CNAEs: Em alguns casos, o seu negócio criativo pode envolver várias atividades. Nesse caso, é possível selecionar mais de um código CNAE para representar todas as áreas de atuação. Isso garante que você esteja em conformidade com todas as atividades que exerce.

Consulte um contador ou especialista: Se você estiver em dúvida sobre qual código CNAE escolher, é recomendável consultar um contador ou um especialista em registro de empresas. Eles podem oferecer orientações específicas com base nas características do seu negócio.

Esteja ciente das implicações fiscais: Lembre-se de que o código CNAE escolhido influenciará a tributação da sua empresa. Portanto, é importante entender como o código afetará os impostos que você deve pagar.

Atualize quando necessário: À medida que o seu negócio evolui e suas atividades mudam, é importante revisar regularmente o código CNAE e fazer as alterações necessárias para refletir com precisão as atividades da sua empresa.

Como atualizar o CNAE

Como você acabou de ler, ao longo da vida do seu negócio, pode ser necessário revisar e atualizar o CNAE da sua empresa. Para isso, o que deve ser feito é:    

  • Certifique-se de que a nova atividade econômica é permitida na localidade de atuação da empresa, verificando a Consulta de Viabilidade Locacional.    
  • Adeque o objetivo da organização no contrato social do empreendimento de acordo com a nova atividade.    
  • Faça o registro da alteração na Junta Comercial e no órgão regulador da nova atividade.    
  • Peça autorização de funcionamento para o Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e Órgão Ambiental, se necessário.    
  • Faça a alteração cadastral na prefeitura, para ter o alvará de funcionamento em dia, se preciso. Algumas prefeituras já realizam essa alteração automaticamente, então verifique qual o procedimento adotado no seu município.    
  • Se a atividade empresarial tem relação com órgãos como CRECI, SUSEP e CRC, comunique-os e busque uma posterior atualização junto a eles.

Resumindo o que vimos até aqui, a formalização de um negócio não é apenas uma obrigação legal, mas sim um diferencial competitivo valioso.

A formalização desempenha um papel crucial na proteção da propriedade intelectual, por exemplo. Em primeiro lugar, ao formalizar seu empreendimento, você tem a capacidade de registrar oficialmente seus ativos de propriedade intelectual, como patentes, marcas, direitos autorais e segredos comerciais. Esse registro proporciona uma base legal sólida, estabelecendo seus direitos como proprietário desses ativos e tornando mais fácil a defesa de seus interesses em caso de disputas.

Além disso, a formalização do negócio permite a criação de contratos e acordos específicos, como acordos de confidencialidade e contratos com clientes. Esses documentos definem claramente os termos e condições de uso de seus ativos de propriedade intelectual por terceiros, o que ajuda a evitar a exploração não autorizada e estabelece as bases para a proteção de seus direitos.

A formalização também cria um registro legal da existência e das atividades do seu negócio criativo, o que é útil para rastrear a criação e o uso de ativos de propriedade intelectual ao longo do tempo. Isso é fundamental para provar a originalidade e a data de criação dos ativos em caso de disputas ou desafios.

Para os negócios criativos, a formalização não apenas confere credibilidade no mercado, mas também abre portas para oportunidades financeiras. Acesso facilitado a financiamentos, programas de apoio governamentais, parcerias estratégicas e colaborações significativas são apenas algumas das vantagens nesse sentido.

Por fim, a formalização proporciona acesso a recursos legais para proteger seus direitos de propriedade intelectual e permite que você recorra a órgãos especializados, como o INPI no Brasil, para registrar e fazer cumprir seus direitos. Além disso, ao estabelecer um negócio formal, com documentação clara e contratos bem elaborados, você pode ajudar a evitar litígios, uma vez que as expectativas e os direitos de todas as partes envolvidas são definidos e acordados previamente, reduzindo assim potenciais conflitos.

Dúvidas? Fale com um de nossos especialistas no Atendimento Online, ligue para nossa Central de Atendimento no telefone 0800 570 0800 ou visite a Agência de Atendimento mais próxima.

Publicado em 28/11/2023 17:36

Tempo de leitura: 12min

Autores

Veja outros itens da coleção: Meu negócio é Carnaval
Veja outros conteúdos sobre: Empreendedorismo
Lines
Central de Atendimento:
0800 570 0800

Copyright 2020 - SEBRAE MINAS

Logo Sebrae PlayLogo Sebrae