Sebrae Play | Como elaborar um código para os produtos

Adicionado ao carrinho


Investimento:
R$ 0,000 x R$ 0 sem juros
logo

Adicionado ao carrinho


Investimento:
R$ 0,000 x R$ 0 sem juros

Leis e Impostos

Artigo
Artigo

Como elaborar um código para os produtos

Saiba quais as principais formas de codificação e quais os benefícios

Publicado em
29/08/2023 17:31

Tempo de
leitura: 4min

Sebrae Minas - Como elaborar um código para os produtos
Saiba quais as principais formas de codificação e quais os benefícios

Tudo aquilo que vendemos em nossas empresas (ou compramos no dia a dia) pode ser codificado. A codificação é um processo de atribuir uma identidade única, que será o código do  produto. Falando assim, você deve estar pensando sobre os códigos de barras que sempre vê nos rótulos e embalagens dos produtos que consome. Sim, os códigos de barras são uma forma de codificação, talvez a mais difundida, mas não a única. Outras metodologias também existem e serão mostradas aqui.

Mas, antes, vale pensar um pouquinho sobre os benefícios da codificação. Por que eu deveria pensar em criar códigos para os produtos que eu produzo e/ou vendo? Embora não obrigatória em uma série de situações, a codificação vai permitir a identificação e o acompanhamento de um produto dentro e fora da empresa. Vai facilitar a gestão, o controle e as vendas.


 


Quais as principais formas de codificação de produtos?

O conhecido código de barras é uma das formas de fazer a codificação. Ele é uma identificação única para sua empresa e produto e, muitas vezes, é exigido pelo mercado em transações comerciais; daí sua popularidade. Para criar o seu, a empresa precisa se inscrever junto à GS1, organização responsável no Brasil pela criação de códigos. O código usado, provavelmente, será do tipo EAN (Europe Article Number), uma sequência de 13 dígitos representando país + empresa + produto + dígito de controle. Uma vez implantado, poderá ser lido por diversos modelos de leitores óticos existentes no mercado e a informação ali captada vai direto para um software de gestão de estoques.

Outras formas de codificação conhecidas são NCM e SKU. A codificação NCM significa Nomenclatura Comum do Mercosul e é uma classificação designada pela Secretaria da Receita Federal para identificar a natureza dos produtos, recolher tributos e facilitar a geração e análise de dados sobre o comércio internacional. É um código composto de 8 dígitos. Se a mercadoria está em circulação, deverá ter seu código NCM descrito em sua documentação legal. Você poderá consultar o código NCM de seus produtos em tabela própria criada pela Secretaria da Receita Federal.

Por fim, o código SKU (Stock Keeping Unit ou Unidade de manutenção em estoque) é um código criado pela própria empresa para identificar seus produtos. É muito usado no comércio eletrônico para fazer a mesma função dos códigos de barra e usufruir dos mesmos benefícios de gestão e controle. Como são criados pela própria empresa, há maior liberdade de criação em relação ao EAN, por exemplo. Mas deve-se ter em mente a necessidade de se manter uma lógica de criação para que o código possa comunicar corretamente as informações ali contidas. Assim, seu código poderá ter letras e números (ou outros caracteres, se achar válido) e trará informações diversas sobre produtos, como fabricante, tamanho, cor, modelo, entre outros atributos que caracterizam o produto.

É muito importante entender o processo de codificação e, principalmente, compreender seus benefícios para qualquer empresa, independente do seu porte ou setor de atuação. Se sua empresa ainda não tem algum tipo de codificação implantada, vale a pena começar a pensar a respeito!

Dúvidas? Fale com um de nossos especialistas no Atendimento Online, ligue para nossa Central de Atendimento no telefone 0800 570 0800 ou visite a Agência de Atendimento mais próxima.

Publicado em 29/08/2023 17:31

Tempo de leitura: 4min

Autores

Veja outros conteúdos sobre: Leis e Impostos
Lines
Central de Atendimento:
0800 570 0800

Copyright 2020 - SEBRAE MINAS

Logo Sebrae PlayLogo Sebrae